domingo, 7 de junho de 2009

Lista das viroses




Se acaso eu voltar do limbo
Escorrida, imunda
Olhos de dejetos
E sol apagado
Vai me pegar no colo?


Terá impregnação aromática do teu cheiro investigado
Nas minhas roupas emboloradas?
Seus discos na vitrola quebrada
O pulmão inchado de tanto oxigênio
E a mente sonhando águas róseas?


Viroses esta noite?
Um toque infantil pela manhã
O calor de qualquer dizer
Mesmo que mensagem falsa


Você vai me querer
Se eu estiver torta na lista das mais procuradas
Por delitos imperdoáveis
Se eu atear fogo no seu logradouro
Matar nossa galinha de estimação
Em ritual do mais possuir-te
Sem que ninguém o saiba
Você me interna no teu íntimo?
Se souber da minha língua gelada
Do meu ardor sem contexto
Você me cala?


Se confessar que esse pecado é puro
Que a ciranda gira ao contrário
Que a flor ama o espinho
E que já abandonei os esqueletos do armário
Isso é chamado?


Qual é tua senha?
O ritmo da tua dança
O vício da tua cura
A inexplicável explosão
Que me inflama
E espalha
Você me estranha?


Se eu te der tapa na cara
Cuspir nos teus livros
Arranhar teus signos
Plantar cactos nos teus medos
Diz que me ama?
imagem:Frida Kahlo

5 comentários:

TYTA BY TYTA disse...

Perfeito, singular, extraordinário!!!

ivone fs disse...

absurdamente lindo!

Lanoia disse...

rita! rita! rita! \o/

Bento Calaça disse...

Rita ,
me embriaga nas asas
da poesia.
fã, sempre!

Veras disse...

nunca chegar ao fim. eis tua grandeza!

 



Google